(Foto: Reprodução)
Política

Idoso, pai de vereador de Porangatu deve ser indiciado por falsidade ideológica

Vereador de Porangatu, Valmir Martins esteve novamente em Anápolis nesta segunda-feira (10) prestando depoimento no 1º Distrito Policial, comandando pela delegada Gênia Maria Eterna.

Acompanhado de uma advogada, ele não quis falar com a imprensa.

Segundo o radialista Márcio Gomes, da Manchester AM, que conversou com a delegada Gênia, neste novo depoimento o vereador resolveu contar mais detalhes sobre o caso.

Sempre se colocando como vítima, ele alegou estar sendo perseguido, disse que teme perder o mandato e revelou que há outro político envolvido no episódio. A delegada, para preservar a investigação, preferiu por enquanto não mencionar a identidade dessa pessoa.

Outra novidade dita por Valmir é que, dos R$ 10 mil que ele pagou para conseguir a colocação de um segundo stent para o pai Nilson Ribeiro Damasceno, apenas R$ 9 mil foram devolvidos por Edmilson em dois pagamentos.

O primeiro teria sido feito no último dia 19, no valor de R$ 2 mil. Já o segundo, de R$ 7 mil, ocorrido dias depois. Ou seja, Valmir ficou no prejuízo em R$ 1 mil.

Tentando ajudar o pai, o vereador terminou por prejudicá-lo, já que o idoso também deve ser indiciado pelo crime de falsidade ideológica por ter deixado Edmilson forjar, no nome dele, um endereço domiciliar registrado em Anápolis para obter um novo cartão do SUS, fraudando o sistema para conseguir a cirurgia.

Procurado

Edmilson, que nesta terça-feira (11) será julgado em segunda instância na 2ª Câmara Criminal do TJGO pelo homicídio do ex-padrasto, mesmo convocado pela delegada Gênia, ainda não se apresentou à Polícia Civil para prestar novo depoimento.

O 1º DP, que já entregou uma intimação na casa da ex-esposa dele, ainda tenta localizá-lo.

Quer comentar?

Comentários